© 2019 Araki Engenharia

Buscar
  • Eduardo Araki

Sondagem de solos, quantos furos e suas localizações?

Atualizado: 9 de Jan de 2019



Uma questão muito frequente que recebo dos meus clientes de projetos estruturais é qual a quantidade de furos necessários para uma sondagem de solo e a sua locação no terreno. Neste artigo vamos entender o que a norma técnica diz a este respeito e como especificar este estudo de sondagem.


A sondagem de solo é extremamente importante para a execução do projeto estrutural de fundações. Conhecer o perfil do terreno permite que o engenheiro calculista possa determinar o tipo de fundação, profundidade, correções no solo e especificar a quantidade de material a ser utilizado. Não fazer a sondagem do solo implica em riscos para seu imóvel (surgimento de fissuras) e gastos desnecessários com uma fundação superdimensionada.


A norma técnica que rege a realização de sondagens de solo é a ABNT NBR 8036-Programação de sondagens de simples reconhecimento do solos para fundações de edifícios - Procedimento.


Esta Norma fixa as condições exigíveis na programação das sondagens de simples reconhecimento dos solos destinada à elaboração de projetos geotécnicos para construção de edifícios. Esta programação abrange o número, a localização e a profundidade das sondagens.


Vamos adotar como exemplo um terreno residencial com uma construção típica de casa com piscina e edícula.


Figura 1. Projeto de construção.



Na figura acima vemos uma planta de um projeto de uma casa, localizada em um terreno com declividade para os fundos, no quintal há uma piscina e na divisa dos fundos uma edícula. O terreno será murado. Para nosso exemplo vamos supor que este é um terreno de 500m², a construção terá 300m², a edícula terá 60m².


Estabelece a norma técnica a quantidade de um furo para cada 200m² de área da projeção em planta do edifício até 1200 m² de área. Entre 1200m² e 2400m² deve-se fazer uma sondagem para cada 400m² que excederem de 1200m². Acima de 2400m² o número de sondagens deve ser fixado de acordo com o plano particular da construção.


Furos de sondagem NBR 8036

Tabela de furos de sondagem, NBR 8036



De acordo com a tabela acima, como a casa terá 300m², deverão ser executados 3 furos de sondagem.


A norma também estabelece que os furos não podem ser alinhados.


Como existe uma piscina no quintal e esta é uma estrutura que terá uma grande carga sobre o solo devido à quantidade de água, é aconselhável executar um furo na região da piscina para o projeto de sua fundação.


Pelo mesmo raciocínio aconselhamos outro furo de sondagem na região da edícula.


Outro fator que o calculista leva em conta é a declividade do terreno. Caso a declividade seja natural, é de se esperar que as camadas do solo sejam igualmente distribuídas, assim os pontos de locação dos furos devem ser desalinhados em relação às curvas de nível.


Deste modo os pontos de locação para nosso exemplo será o seguinte:


Figura 2. Locação de pontos de sondagem.



O projetista poderá alterar a locação dos pontos de sondagem levando em consideração alguns critérios: cargas concentradas, estrutura em balanço, posição da caixa d'água, existência de mais pavimentos e perfil do terreno.


Lembre-se que nunca é demais a segurança de se ter uma construção sobre um fundação estável. Afinal qualquer reparo de fissura é muito mais dispendioso que a execução de sondagem de solo.


Figura 3. Exemplo de recalque diferencial da fundação.




Eduardo Araki é Engenheiro Civil

Diretor Técnico da Araki Engenharia

Projetos Estruturais, Elétricos e Hidráulicos



95 visualizações